quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Big Bang




Me quero inteira,
Mas trago comigo
Somente fragmentos,
Lembranças inacabadas de mim mesma.
Me quero inteira,
Mas desde a grande explosão,
Que sofri logo ao nascer,
Quando os primeiros ventos
Sopraram minha vida,
A cada dia me cai
Uma pétala ou um caco.


                                                                                 Mara Medeiros

4 comentários:

Fernanda Nogueira disse...

Nossos pedaços perdidos sempre encontram outros e seguem tecendo os retalhos de nossa história! :)

Mara Medeiros disse...

Verdade, Fernanda!

Plínio Alexandre dos Santos Caetano disse...

E de pedaços em pedaços... teremos todo o inteiro, construído não apenas de nós mesmos!

Leonardo Valesi Valente disse...

Multidão de seres que as palavras nos reunem para ser. Poesia é caminho em muitos destinos.