terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Colheita






Não plantei dores.
Não colherei ferimentos antipáticos!
Desejo, modestamente, colher lírios amarelos!


Plínio Alexandre dos Santos Caetano
@pliniocaetano23

7 comentários:

Fernanda Nogueira disse...

E espalhar o doce aroma em meu jardim... :)

Ani Almeida disse...

Que os deuses não te vendiam enquanto te davam.
E que a semente plantada não seja bastarda.

PS.: Singelos versos, profundos.

Alessandro disse...

Simplesmente bonito, Plínio! :)

Abraço pra ti!

Leonardo Valesi Valente disse...

Maravilha! Eis que as letras no poeta alcançarem cor e aroma.

Aumentadora de Pontos disse...

Lindo. Falar de flores é sempre um deleite...

Mara Medeiros disse...

Quero colher desses lírios contigo, poetamigo!

Plínio Alexandre dos Santos Caetano disse...

Obrigado, meus caros amigos!
O odor das palavras às vezes (de vez em sempre) me deixa apaixonado!