sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

À espera...


(Toulouse Lautrec)


Saudade essa minha
Que mais tua é que minha
E me põe a escrever-te
Cartas sem destinar

Desejo esse meu
Que te quer mais que posso
E me faz ser tua sem ser
De um jeito só nosso

Amor esse meu
Que insisti em viver
E me faz tua amante
Nos delírios só meus

Esperança essa minha
Que sussurra aos ouvidos
E me diz docemente
Que seremos só nossos...

Lai Paiva


4 comentários:

Alessandro disse...

Que coisa bonita esta esperança, que faz urdir versos na madrugada.

Beijo, Laine! :)

Anônimo disse...

Alezinho querido, sim, meus versos da madrugada... Beijos meus!

Lai Paiva

leovalesi disse...

Esses sentimentos trafegando seus, saudade, amor, esperança, passam a nos tocar depois que te lemos. Tão bom isso que nos acrescenta.

Coletivo Revolucionário disse...

Leozinho, tão bom surtir este efeito. Obrigada, meu querido. Beijos meus.

Lai Paiva