sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Não ofereça flores a fantasmas

Mulher no jardim das flores, de Gary Braasch, fotógrafo estadosunidense.
http://www.braaschphotography.com/pages/foodgarden.html


esvazie as gavetas de memórias carcomidas pelas traças 
recuse à trágica dama Mentira o direito da última valsa 
máscaras de ontem já não servem e não protegem mais

dirija sem temor para outro lugar que queria ter visitado 
a direção oposta lhe convida e pode ser muito atraente 
há tanta gente nova que aguarda ansiosa um novo você

agora que já sabe que o engano era imaginar-se certo
destrone o absoluto imperador da ilusão que alimentava 
pois como era o mundo antes, nunca mais poderá ser

não tenha piedade alguma de quem pode lhe sangrar
não ouça os sussurros de quem lhe implora a voltar
não ofereça flores aos fantasmas que habitam ao redor

eles não podem sentir o odor



Alessandro de Paula
@palavratomica

5 comentários:

leovalesi disse...

O novo veio para as máscaras demolirem. Caber o antigo não ganha verso. O carnaval vem estontear o corpo poético para inaugurar uma ressaca desperta. Irrompa, suas palavras são vorazmente audiveis, querido Alê!
Abraços e paz, Leo.

leovalesi disse...

Claro, a foto é belíssima, faz jus ao poema, mas pela leveza que ele cria por termos lindo o que nos moveu aqui.

Alessandro disse...

Obrigado, Leo, pelas palavras tão ricas a respeito desta simplória obra. Abraço pra ti! E paz também, lógico! :)

Anônimo disse...

Alezinho, noooossa, parece escrito pra mim rsrsrs. Lindo demais e pertinente. Meu beijo especial, meu querido poeta!!!

Lai Paiva

Alessandro disse...

Laine, penso que cabe pra você, pra mim... pra todos nós. Um poema universal. Eh eh eh!

Beijo, linda!