quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Nunca Um Bom dia Ecoou Tanto




Bom dia minha linda, ele dizia.

Bom dia minha linda, ele repetia por horas ininterruptas.

Bom dia minha linda, ele falava.

Bom dia minha linda, ele suplicava.

Por mais que repetisse, ela nunca acordava.

7 comentários:

Ellen Dias disse...

Parabéns a todos pelo blog e parabéns especial pra você Andres, belo poema: forte, triste... ecoa mesmo.

Ellen Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Macabea de La Mancha disse...

Ecoou bem aqui... Fã do blog, desde já! Abraços revolucionários!

Coletivo Revolucionário disse...

André, que lindo! De sentimentalismo que ecoou aqui aos meus ouvidos! Beijos

Lai Paiva

Alessandro disse...

Ecoou tanto que a bela adormecida já não era mais bela, não tão bela como estes poucos mas tão expressivos versos.

Abraços, Andres!

Tudo tende a encontrar seu ritmo e harmonia própria disse...

Muito obrigado, pessoal.

Mara Medeiros disse...

Ecoa ainda agorinha no meu coração a tua poesia...
Parabéns, Andres.