sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Seu mundo


Farto de meias palavras,
inter
esses ao meio
que se revelam os mais escusos.

Quem pode entender os caprichos do mercado?
Quem será o capacho a carregar este fardo
de ter caído em pecado
perante tal deus?

Louvemos aos bispos, cardeais e papas da economia,
ergamos taças aos meliantes, malandros, pilantras.
Eles entendem o mercado...
Sim, entendem bem!
Estes seus novos velhos ídolos de pés de barro...

Quem vê suas veias progressivamente entupindo?
Quem pode resistir a este estúpido infarto?
Onde dói mais, meu bem,
para que eu cause mais dor?

Pobres ovelhas reunidas, indignas do cumprimento principesco.
Seu suor nas têmporas enoja.
O sacrifício vão não emociona,
antes causa repulsa.

Pagam o preço do consumoarmadilha no tempo
do fracasso das ideologias.
No mundo em que existem, ninguém pergunta:

"Como irão sobreviver?"

Há pouquíssimos
anacrônicos gritadores amordaçados em fila para o regozijo dos fuzis.

Os que não se conformam, que se reformem.
Os que não veem, que se vendam sem ver.

Alessandro de Paula
@palavratomica

4 comentários:

leovalesi disse...

Estas peças todas no jogo e somente uma que destaca-se noutr mundo: o seu eu, desejante de questionar-se, propulsor de mudanças. Nos seus versos escondeu o reflexo do espelho enquanto criou um outro tempo para seu sonho? Pergunto de uma certeza que li. Será?! Lindo poema, parabéns amigo Alê!

Alessandro disse...

Penso no quanto meu eu e o outro eu refletido num espelho podemos ou não deixarmo-nos levar pelas demandas cotidianas, seduções do mercado.

Enquanto um questiona, o outro parece aceitar, saboreando com crueldade o sofrimento alheio.

Na era da individualidade, o indivíduo-dual.

A luta entre estes dois prossegue, Leo. Por enquanto, ambos, que são um só, agradecem. Abraço pra ti! :)

leovalesi disse...

O espelho deriva estas paisagens polarizadas que se pulverizam na tentativa inesgotável de se afirmar. Seu poema lida a partir deste olhar para o longínquo. Tanta beleza fez irradiado assim.

Alessandro disse...

:)

Fico realmente muito grato de saber isto, camarada. Obrigado. Abraço e um domingo de luz pra ti.